Brechó da construção civil

Diversas opções para "vestir" sua casa com originalidade

Postado por: Luara Skrzek

Materiais antigos  enchem centenas de caçambas todos os dias com mais de 70 mil toneladas de entulho. Porém, algumas vezes essas “sobras” ganham novos usos, colaboram com o meio ambiente e com o seu bolso: são os materiais de demolição. Em entrevista ao Eh tipo internet?, o gerente administrativo Adriano Maciel de Araújo, da Ação Demolidora, explicou como se dá esse processo.

ETI – Quais materiais geralmente são passíveis de serem reaproveitados nas demolições?

A-   Aqueles que estiverem dentro das condições de uso (portas, por exemplo, podem parecer que estão em bom estado por fora, mas o batente pode ser que esteja podre). Janelas, telhas, vitrôs, grades, portões, pias, lavatórios… São algumas das coisas que conseguimos aproveitar. Materiais podres são descartados. […] O problema dos tijolos é a mão de obra; só vale a pena se a compra for em grande escala. As únicas telhas que não compensam serem reaproveitadas hoje, para reposição, é a telha francesa, que ainda é fabricada, só que em tamanho menor. Quando moradores de casas antigas precisam repor alguma telha desse padrão, só encontram em demolições.

ETI – Quando há intenção de preservar, quais cuidados devem ser tomados?

A-   A retirada é muito importante. A pessoa que vai realizar o processo tem que ser especializada. Para tirar janelas de alumínio, por exemplo – que são muito boas -, tem que ter muito cuidado para não amassar as bordas. O processo é mais demorado, à base da picareta mesmo, é tudo feito à mão.

ETI – Como identificar se materiais antigos e raros são ou não legítimos?

A-   A “pinho de riga”, que é uma madeira nobre antiga, por exemplo, é toda “riscadinha”, vincada, dá para sentir o relevo com os dedos. Já a peroba é mais escura e lisa. Com o tempo essas madeiras vão “secando” mais, ou seja, dificilmente correm o risco de envergar, se mal instaladas, como as novas. Os desenhos de portões antigos é uma coisa que não se acha mais hoje em dia, e são desenhos específicos da época; ninguém faz mais porque a mão de obra é cara e há maior procura pelos modernos, automatizados, basculantes…

ETI – Como você avalia o mercado de demolição? Os arquitetos e engenheiros têm a consciência de procurar esta alternativa?

A-   Na verdade eles não procuram nada, porque querem praticidade, eles têm prazo para concluir as obras. Raramente eles (engenheiros, construtores) procuram material de demolição, até porque esse material, na maioria das vezes, é fora dos padrões das novas construções; as portas, por exemplo, são mais altas, largas do que o padrão atual. Pela questão financeira e ambiental valeria a pena, mas praticidade vem em primeiro lugar. Quem vem procurar (material de demolição) são os próprios donos de casas antigas, às vezes para reformar, manter uma janela, porta.

A aquisição desses achados pode ser feita diretamente na demolição de uma obra ou em demolidoras que oferecem uma variedade deles já selecionados. Há empresas e profissionais que realizam a restauração dos materiais de demolição, deixando-os com ar de novos, sem perder o requinte de seu estilo original, valorizando a peça, que pode até tornar-se o destaque de um ambiente.

Alguns resíduos resultantes da demolição dos edifícios “São Vito” e “Mercúrio”, ambos na região central de São Paulo, estão sendo utilizados na construção de asfaltos ecológicos.

Anúncios

Publicado em 17 de agosto de 2011, em Arquitetura e design e marcado como , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Adorei o post! Parabéns para quem o fez! Realmente, é hora de prestarmos mais atenção naquilo que consumimos e dar preferência ao sustentável! O mundo agradece!

  2. Tema interessante e que sugere possibilidades a quem busca proporcionar à sua residência detalhes originais e aspectos diferenciados.

  3. Parabéns Luara, muito interessante , sou admiradora de peças antigas, sem contar que agindo desta forma, estamos colaborando com o meio ambiente. Gostaría que você continuasse postando sobre este assunto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: