Não à Intervenção da ONU

 

Sírias protestam pedindo liberdade em seu país.

foto: http://liam-theactivist.blogspot.com/2011/04/syria-when-friday-comes.html
Postado por: Mariana Mundim

A Síria que vem enfrentando uma onda de protestos contra o regime da família Assad, que já dura 41 anos, fizeram com que o governo enviasse tropas a diversas cidades em todo o país para reprimir os manifestantes. De acordo com a ONU, desde o início das revoltas pelo menos 2.700 pessoas morreram nos confrontos com as forças de segurança, enquanto a Síria culpa “gangues armadas” apoiadas pelo exterior pela morte de 700 membros das forças de segurança.

O Conselho de Segurança da ONU, emitiu um comunicado em Agosto condenando a violência que a população que está contra o governo de Bashar Assad. Contudo, o ministro de Exteriores da Síria, Walid al-Moualem, pediu aos Estados membros da ONU para que interrompam a “intervenção internacional” que ele considerou responsável pelos mais de seis meses de protestos contra o governo. As declarações do chanceler foram feitas no dia 26 de setembro, durante a Assembleia-Geral da entidade. De acordo com ele, a presença de grupos contra o governo de Assad é uma manifestação contra o intervencionismo da ONU na Síria. “Asseguro a vocês que nosso povo está determinado a rejeitar todas as formas de intervenção estrangeira em nossos assuntos internos. Por isso, peço que os Estados que tomaram parte nesta injusta campanha contra a Síria reconsiderem suas posições. Nosso povo frustrará todos os seus planos”, disse a autoridade síria.

Dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, Rússia e China têm resistido às pressões para adotar sanções punitivas contra países dos quais são aliados, como é o caso da Síria. Grã-Bretanha, França e Estados Unidos, porém, os outros três com assentos fixos, pretendem impor medidas firmes contra Assad. Todos têm poder de veto e podem anular votações, independente da contagem dos votos, incluindo os outros dez membros rotativos. A Rússia, por exemplo, é contra a intervenção na Síria, porém ainda não há certeza se Moscou irá vetar uma resolução da Organização das Nações Unidas elaborada pela Europa sobre o país árabe.

Os países membros do Conselho de Segurança da ONU pretendem votar tal decisão nesta terça-feira, dia 4 de outubro.

Anúncios

Publicado em 4 de outubro de 2011, em Internacional e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: